Alicerces da fama: Villarreal

Os Beatles deram-lhe a alcunha e o equivalente a 36 por centro da população é sócia do clube: o UEFA.com diz-lhe tudo sobre o Villarreal.

Antonio Rukavina abraça o avançado do Villarreal, Cédric Bakambu
Antonio Rukavina abraça o avançado do Villarreal, Cédric Bakambu ©Getty Images

Fundação: 1923
Alcunha: O submarino amarelo

Palmarés nas competições de clubes da UEFA
• Vencedor da Taça Intertoto: 2003, 2004

Palmarés nacional
nenhum

• O Villarreal tem a alcunha de o "submarino amarelo" desde 1968, dois anos depois de os Beatles terem lançado a famosa canção. A ligação ao clube aconteceu quando os adeptos começaram a trautear a música no El Madrigal e, ao ver as cores do equipamento da equipa, começaram a cantar: "O Villarreal é o amarelo /é o amarelo."

• O "submarino amarelo" não tem tido sorte nas meias-finais. Foi eliminado por um total de 1-0 frente ao vizinho Valência nas meias-finais da Taça UEFA em 2003/04, caiu por uma margem igual ante o Arsenal, na mesma fase da edição de 2005/06 da UEFA Champions League, e foi afastado eventual vencedor Porto na meia-final da UEFA Europa League em 2010/11.

Resumo: Sparta Praha 2-4 Villarreal
Resumo: Sparta Praha 2-4 Villarreal

• O Villarreal é o clube mais concretizador da UEFA Europa League, com 82 golos, e que mais triunfos averbou na prova – 26, mais um que Benfica e Sevilha.

• Radamel Falcao é um dos pesadelos do clube. O atacante colombiano marcou cinco vezes pelo Porto nas meias-finais de 2010/11 e, um ano depois, ao serviço do Atlético Madrid, fez o tento que atirou o Villarreal para o segundo escalão na última jornada da temporada 2011/12.

• O Villarreal é um caso raro de sucesso. Com uma capacidade para 24.500 espectadores, o El Madrigal pode receber quase metade da população da cidade, que é de 51.850 habitantes. No entanto, o clube conta com um importante número de sócios - 18.456 (que equivalem a perto de 36 por cento da população de Villarreal/Vila-Real). O Villarreal é a segunda cidade mais pequena a ter estado presente numa meia-final da UEFA Champions League (depois do Mónaco, que conta com 38 mil habitantes).

O mago Juan Román Riquelme
O mago Juan Román Riquelme©Getty Images

• Juan Román Riquelme mostrou o caminho. O "playmaker" argentino foi o líder na sua época de estreia sensacional na Taça UEFA, em 2003/04, tendo ainda sido decisivo na famosa campanha na UEFA Champions League. No entanto falhou um penalty perto do final que seria decisivo ante o Arsenal.

• O presidente do Villarreal, Fernando Roig, vem de uma família de directores-desportivos; o seu irmão mais velho, Paco, foi presidente do Valência e o mais novo, Juan, foi dono da equipa de basquetebol do Valência. Fernando teve também acções do Valência mas, motivado para ter a sua própria equipa, em Maio de 1997 escolheu o Villarreal, que dista 60km da sua cidade natal - precisamente Valência. Nessa altura, o Villarreal nunca havia estado no escalão principal e lutava pela sobrevivência na Segunda División. Pouco mais de um ano decorrido estava na La Liga e, oito anos depois, jogava na UEFA Champions League.

Bruno Soriano foi formado no clube
Bruno Soriano foi formado no clube©Getty Images

• O Villarreal abriu a sua academia de formação num laranjal, após a chegada de Roig. A fruta não tem parado de surgir desde aí: os jogadores da primeira equipa, Mario Gaspar, Bruno Soriano, Adrián Marín e Matías Nahuel, foram todos formados no clube.

• A ligação com a Argentina é forte. Walter Gaitán, contratado em 1998, foi o primeiro de muitos argentinos a chegar ao El Madrigal: Riquelme, Juan Pablo Sorín, Rodolfo Arruabarrena, Gonzalo Rodríguez e o guarda-redes, Mariano Barbosa fizeram parte da colheita de 2005/06, enquanto Luciano Vietto marcou 20 golos na Liga e UEFA Europa League na temporada de estreia, após chegar oriundo do Racing Club, em 2014 – rumou já ao Atlético no Verão passado.

Veja o Villarreal a construir um castelo amarelo
Veja o Villarreal a construir um castelo amarelo

• O Villarreal começou a temporada 2011/12 na UEFA Champions League, mas terminaria a descer de divisão – a segunda equipa espanhola a sofrer o mesmo destino, depois do Celta Vigo em 2003/04. O treinador Marcelino conseguiu fazer subir a equipa em 2013/14, com o Villarreal a terminar em sexto e a apurar-se para a UEFA Europa League.